“EMPRESA GB MINERALS VAI INVESTIR MAIS DE 100 MILHÕES DE DÓLARES PARA EXPLORAÇÃO DE FOSFATO”

O ministro dos Recursos Naturais, Daniel Gomes, afirmou esta sexta-feira, 10 de Julho, que a empresa norte-americana “GB Minerals” vai investir 165 milhões de dólares americanos para a exploração de fosfato de Farim. 



O titular da pasta dos recursos naturais fez esta revelação a saída da audiência concedida ao representante da embaixada dos Estados Unidos de América para a Guiné-Bissau que se fez acompanhar dos representantes daquela empresa norte-americana que pretende investir na exploração de fosfato.


Daniel Gomes disse na sua declaração a’O Democrata que chegou a hora de se passar para ações concretas no que concerne a exploração de fosfato de Farim.

“A missão dos Estados Unidos aqui é uma missão económica, talvez é primeira vez que o governo americano apoia um sector privado do seu país nos esforços do desenvolvimento deste país. Nós deixamos muito claro a posição do governo em crer explorar os nossos recursos numa base de sustentabilidade destes recursos”, contou o governante.

Questionado sobre a insuficiencia de quadros nacionais qualificados para trabalhar na exploração dos recursos mineiros, o titular pela pasta dos recursos naturais assegurou que todos outros países começaram com a mesma dificuldade de falta de quadros; tendo referido que mesmo os Estados Unidos que hoje é uma potência mundial também passou por aquela situação.

“Eu advogo que a Guiné-Bissau tem quadros e devem ser valorizados, acompanhados com uma formação específica para dada área. Pode imaginar quantos milhares de jovens que saíram de Universidades sem encontrarem ainda emprego, podemos reconverte-los na componente geológica, hidrocarboneto hidrológico”, explicou o governante.

O representante da Embaixada dos Estados Unidos de América, Gregory Garland informou que o seu país veio encorajar a possibilidade de investimento de setor privado dos Estados Unidos.

“Estamos a falar do interesse dos EUA no desenvolvimento económico da Guiné-Bissau, por isso é que estamos aqui para tomar parte nesse encontro”, contou o diplomata.

De referir que a reserva total de jazigo de fosfato de Farim é avaliado em 166 milhões de toneladas, de acordo com uma empresa canadiana (Champion Resources) que efectuou os estudos sobre o fosfato de Farim em 1997-2006. Farim é um dos sectores da região de Oio, no norte da Guiné-Bissau.