EUA QUEREM APROFUNDAR A COOPERAÇÃO COM A GUINÉ-BISSAU

Os Estados Unidos de América anunciaram em Bissau a retoma da cooperação militar com as forças de Defesa e Segurança nacionais com a vista a fortalecer o estado de direito democrático no país, disse hoje, 9 de Julho, a Ministra da Defesa Nacional, Cadi Seidi.

À margem de uma visita de apenas um dia do Secretário de Estado da Marinha Norte-Americana, Ray Mabus, Cadi Seide disse que já em agosto próximo, terá lugar em Bissau, uma conferência sobre diálogo civil e militar sob auspícios do governo de Washington.
Após se ter reunido com a primeira alta figura dos Estados Unidos a visitar Bissau, a ministra destacou várias áreas de cooperação em que os americanos vão apoiar na “nova era de relações entre os dois países”.
Segundo a governante, entre as áreas prioritárias, a reforma surge como uma das “questões primordiais para toda a comunidade internacional”.
Em termos dos resultados, Cadi Seide disse que Bissau espera depois de esta visita “tirar frutos” importantes através da aprovação, por parte de Washington, dos projectos ligados à desminagem e recolha de engenhos explosivos e armas ligeiras das mãos dos civis.
Também espera-se que o Governo norte-americano apoie a construção de paióis de armamento, destruídos desde a guerra de 7 de Junho de 1998, de forma a controlar o arsenal militar, acrescentou a governante.
Outra oportunidade sublinhada pela ministra e que se abre com a visita ao país, de Ray Mabus, é de no futuro os quadros militares guineenses poderem ser formados internamente ou nos Estados Unidos da América.
A questão da retoma da escola da língua inglesa da Base Aérea e da Marinha da Guerra Nacional bem como a possibilidade da realização de exercícios conjuntos entre a marinha nacional e a sua congénere de América, estão também na agenda de cooperação entre os dois países.
“Estamos à vontade à disposição do governo americano em continuar a colaborar e a cooperar com a Guiné-Bissau, mas sobretudo em matéria da defesa e segurança. Uma matéria, como todos sabem, difícil para os americanos, mas que agora estão a retomar paulatinamente e acreditamos que algo pode mudar“, notou.
Cadi Seidi disse ainda que o governo de Washington quer ver consolidada a reforma nos sectores da defesa e segurança, “tão reclamada pela comunidade internacional”.
Falando ainda sobre os trabalhos que o país vinha desenvolvendo com os Estados Unidos da América, Cadi Seide lembra que Bissau e Washington têm um trabalho “muito importante” no domínio de luta contra o Ébola e SIDA, em curso desde 2006.
Falando aos jornalistas, Ray Mabus disse que veio a Bissau para estudar as áreas prioritárias em que América possa apoiar no sector da defesa e segurança.
Realçou igualmente que a sua vinda ao país simboliza o reengajamento entre a Guiné-Bissau e os Estados Unidos de América, na medida em que conseguiu abordar com a Ministra da Defesa assuntos da reforma no sector defesa e segurança, a importância do controlo dos civis sobre os militares e a retoma do caminho democrático na Guiné-Bissau.
O Secretário de Estado da Marinha é responsável pela condução dos assuntos do Departamento da Marinha com destaque para o recrutamento, a organização, o equipamento, a formação e a mobilização.
Além disso, supervisiona a construção e reparação de navios de guerra, aeronaves e instalações, formula e implementa políticas e programas coerentes com as políticas de segurança nacional.
O Secretário de Estado da Marinha norte-americano é ainda responsável pelo orçamento anual de 170 bilhões de dólares e pela gestão de quase 900 mil pessoas.
http://www.odemocratagb.com/eua-querem-aprofundar-a-cooperacao-com-a-guine-bissau/